Cisto de Tarlov

Cisto de Tarlov ou cisto perineural: o que é, sintomas e tratamento

Você realizou ressonância da coluna e encontrou no laudo o termo cisto de Tarlov ou cisto perineural? Neste post iremos abordar o que é este cisto, quais os sintomas que ele pode causar, qual o tratamento e se ele tem cura.

O que é cisto de Tarlov ou cisto perineural?

O cisto de Tarlov ou cisto perineural é um cisto da raiz nervosa geralmente preenchido por líquido cefalorraquidiano (LCR). O líquido cefalorraquidiano é um fluido claro que envolve o cérebro e a medula espinhal. O cisto de Tarlov é mais frequentemente encontrado na coluna sacral (S1, S2 ou S3), parte inferior da coluna vertebral, que fica logo abaixo da coluna lombar e acima do cóccix.

Mas o que é uma raiz nervosa? É uma parte da medula espinhal da coluna vertebral pela qual os nervos se ramificam, conectando o sistema nervoso central ao resto do corpo. Essas raízes nervosas transportam sinais elétricos que permitem a comunicação entre o cérebro e outras partes do corpo.

Esse cisto geralmente aparece ao longo das raízes nervosas posteriores. Além disso, a principal característica que difere o cisto de Tarlov de outras cistos meníngeos espinhais é a presença de fibras da raiz nervosa espinhal dentro do cisto ou na parede do cisto.

A maioria dos cistos é completamente assintomática e é encontrada incidentalmente. Os sintomas podem surgir dependendo da localização e do tamanho do cisto. Normalmente, quanto maior for o cisto de Tarlov, maior será a probabilidade de causar sintomas. Além do mais,  vários cistos podem surgir ao mesmo tempo. Abaixo falaremos mais sobre os sintomas causados pelos cistos perineurais.

Qual a incidência e prevalência? 

É difícil saber quantas pessoas apresentam cistos de Tarlov já que nem todos causam sintomas. Acredita-se que  5 a 10% da população em geral apresenta pequenos cistos de Tarlov assintomáticos. No entanto, cistos grandes e que causam sintomas são mais raros. Pesquisas recentes estimam que cerca de 85% dos casos ocorrem em mulheres, enquanto 15% são em homens. 

A prevalência e gravidade dos sintomas em pacientes com cistos perineurais são questionáveis. Considera-se que, como outros cistos meníngeos espinhais, a grande maioria dos cistos de Tarlov são encontrados casualmente.

Qual a causa do cisto de Tarlov?

Embora a causa específica ainda seja desconhecida, existem teorias sobre como o cisto de Tarlov surge e o que pode fazer com que um cisto assintomático produza sintomas. Uma dessas teorias crê que os cistos originam-se de um processo inflamatório dentro da bainha da raiz nervosa. Ou também, que um trauma fere a bainha da raiz nervosa e consequentemente, causa vazamento de líquido cefalorraquidiano (LCR) na área onde o cisto se forma.

Em muitos casos relatados, acidentes ou quedas envolvendo a área da coluna vertebral causaram o surgimento do cisto não diagnosticado previamente ou que eram assintomáticos. Além disso, atividades que aumentam a pressão do líquido cefalorraquidiano, como por exemplo, levantamento de peso, também foram descritas como responsáveis por causar sintomas.

Os cistos perineurais tem sido ocasionalmente associados a doenças do tecido conjuntivo como:

Apesar de tudo isso, mais estudos são precisos para entender os mecanismos que causam o surgimento dos cistos de Tarlov ou o início dos seus sintomas.

Quais os sintomas do cisto de Tarlov? 

Os cistos de Tarlov são assintomáticos na maioria dos casos, mas em alguns indivíduos pode causar dor e disfunção neurológica. Portanto, nestes casos sintomáticos, os cistos perineurais costumam ser maiores, comprimindo ou lesionando raízes nervosas contíguas ou nervos que estão no cisto (radiculopatia). Os sintomas e sua gravidade variam de uma pessoa para outra e com localização ao longo da coluna vertebral.

A dor ocasionada por cistos lombo-sacrais pode comprometer a região lombar, especialmente abaixo da cintura, e irradiar-se para os glúteos e membros inferiores. Geralmente a dor exacerba ao caminhar (claudicação neurogênica). Os sintomas podem acentuar-se progressivamente. Em algumas pessoas, sentar ou ficar em pé piora a dor, enquanto ficar deitado costuma aliviar. A dor também pode se acentuar com tosse ou espirro. 

Se os cistos perineurais estiverem situados na coluna cervical ou dorsal, em alguns casos a dor  pode surgir no pescoço, parte superior das costas, braços e mãos. Além disso, dependendo da localização do cisto, algumas pessoas também referem dor vulvar, testicular, retal, pélvica e abdominal. Ademais, podem surgir sintomas relacionados à perda da função neurológica, como perda de sensibilidade na pele, diminuição dos reflexos, fraqueza nas pernas e alterações na função intestinal ou da bexiga, como incontinência ou dor ao urinar.

Como já dito anteriormente, os sintomas variam bastante conforme o paciente. Abaixo descreveremos de forma resumida os sintomas mais comuns que podem estar presente em pacientes com cisto de Tarlov sintomático:

  • Dor lombossacra ou sacral, especialmente nas nádegas (cistos  sacrais)
  • Dificuldade em ficar sentado por períodos prolongados
  • Desconforto pélvico ou perineal
  • Claudicação neurogênica
  • Fraqueza dos músculos
  • Redução da sensibilidade na pele, principalmente dos membros inferiores
  • Perda de reflexos 
  • Mudanças do hábito intestinal, como por exemplo, constipação
  • Alterações na função da bexiga, como aumento da frequência urinária ou incontinência

Como é feito o diagnóstico?

Suspeita-se do diagnóstico de cisto de Tarlov com base em uma avaliação clínica completa e detalhada do paciente, com identificação de sintomas característicos. Mesmo assim, o diagnóstico não é fácil devido ao limitado conhecimento sobre a doença e pelo fato de que muitos sintomas podem simular outras doenças. 

Um diagnóstico correto pode ser confirmado por diversos exames especializados (ressonância, tomografia ou mielografia). Em muitos casos, no entanto, o diagnóstico de um cisto perineural é realizado incidentalmente. Isto é, encontra-se por acaso o cisto de Tarlov em uma exame de imagem, como por exemplo, ressonância ou tomografia de coluna lombossacra, em pacientes com dor lombar ou ciática. 

Qual o diagnóstico diferencial?

Diversos cistos e tumores podem causar sintomas semelhantes aos relacionados aos cistos de Tarlov.  Eles também podem ocasionar compressão da medula espinhal ou das raízes nervosas. Seguem abaixo alguns exemplos:

  • Meningoceles
  • Divertículos meníngeos
  • Cistos aracnóides
  • Neurofibromas
  • Schwannoma 

Qual o tratamento para o cisto de Tarlov?

Os cistos perineurais assintomáticos, isto é, que não causam sintomas, podem ser acompanhados periodicamente através de exames de imagem para avaliar se os cistos estão aumentando de tamanho.  Como esses cistos podem crescer, é importante o seguimento regular. 

O tratamento é individualizado e baseado nos sintomas  de cada paciente. O tratamento pode ser através do uso de medicamentos, de procedimentos ou cirurgias. A resposta ao tratamento é muito individual, ou seja, o que pode melhorar para uma pessoa pode não ser eficaz para outra.

Analgésicos e antiinflamatórios não hormonais  podem ser utilizados para o tratamento da dor nos casos em que há compressão e inflamação do nervo.  A fisioterapia e o uso da estimulação elétrica nervosa transcutânea ou TENS também podem reduzir as dores. Ainda não existem estudos suficientes sobre o tratamento do Cisto de Tarlov com Pilates.

Os tratamentos não cirúrgicos, porém, invasivos, incluem punção lombar do líquido cefalorraquidiano (LCR) e aspiração de cisto de Tarlov guiada por tomografia computadorizada. Ademais, um novo procedimento tem sido utilizado, que consiste na remoção do LCR de dentro do cisto e, em seguida, preenche-se o espaço com uma injeção de cola de fibrina. Infelizmente, nenhum dos procedimentos acima previne a recorrência do cisto, e consequentemente, dos sintomas.

O tratamento cirúrgico dos cistos de Tarlov pode ser indicado para tratar os pacientes que não respondem ás terapias descritas acima. Diversas técnicas têm sido realizadas com variados índices de sucesso e efeitos adversos. A cirurgia do cisto de Tarlov consiste na exposição da região da coluna onde o cisto se encontra. O cisto é aberto e o líquido drenado. Depois, para evitar que o líquido surja novamente, o cisto é ocluído com injeção de cola de fibrina ou outro material. 

O cisto perineural pode ser evitado?

Não há uma forma conhecida de prevenir o surgimento dos cistos de Tarlov, pois a causa não é bem compreendida. Mas você pode tomar determinados cuidados para evitar lesões físicas e consequentemente, reduzir o risco.

O cisto de Tarlov tem cura?

Você poderá sentir alívio dos sintomas imediatamente ou logo após tomar um medicamento ou realizar um procedimento. Isso vai depender do tipo de tratamento recomendado pelo seu médico. Às vezes, o alívio dos sintomas pode demorar semanas para ocorrer. Por outro lado, outras pessoas podem não encontrar alívio, mesmo após a descompressão ou remoção do cisto.

Qual especialista trata?

Qualquer especialista que lida com dor pode tratar o paciente com cisto perineural. Estes especialistas são: ortopedistas, reumatologistas, neurologistas e especialistas em dor. No entanto, se houver necessidade de realizar algum procedimento invasivo, os neurocirurgiões e ortopedistas em coluna são os profissionais indicados.

A Loyola e Avellar possui profissionais capacitados e tem como objetivo cuidar da saúde e bem-estar de seus pacientes.  Agende sua consulta agora mesmo:   41.3076-3054 ou whatsapp

Dr. Marcelo de Loyola e Silva Avellar Fonseca – Reumatologista