o que é síndrome do túnel do carpo

Síndrome do túnel do carpo: Sintomas, diagnóstico e tratamento

O que é síndrome do túnel do carpo?

A síndrome do túnel do carpo (STC)  é um conjunto de sinais e sintomas  provocados pela compressão do nervo mediano  dentro do túnel do carpo. Os pacientes geralmente se queixam de parestesia (sensação desagradável sobre a pele que pode ser do tipo queimação, formigamento, dormência ou coceira) e dor nas mãos , na distribuição do nervo mediano. Menos comumente queixam-se de fraqueza nesse trajeto.  A STC é a mononeuropatia focal compressiva mais freqüente observada na prática clínica.

Epidemiologia

A síndrome do túnel do carpo é uma doença bastante comum. A prevalência estimada na população é de 1 a 5 por cento.  É mais frequente em mulheres, com uma proporção estimada de 3 mulheres para cada homem. A faixa etária de maior incidência para o desenvolvimento da síndrome do túnel do carpo é de 45-60 anos.  Apenas 10% dos pacientes têm menos de 30 anos.

Os fatores de risco para o desenvolvimento da STC  são:
  • Obesidade
  • Sexo feminino
  • Gravidez
  • Doenças coexistentes (por exemplo, diabetes, artrite reumatoide, hipotireoidismo, doenças do tecido conjuntivo)
  • Predisposição genética
  • Uso do inibidor da aromatase (classe de medicamentos geralmente usada no tratamento de câncer de mama)

Quais os sintomas da síndrome do túnel do carpo?

As manifestações clínicas clássicas da síndrome do túnel do carpo são dor ou parestesia (dormência e formigamento) nas mãos, no local de distribuição do nervo mediano, com envolvimento dos três primeiros dedos e a metade radial do quarto dígito (figura abaixo).

Síndrome do túnel do carpo

Os sintomas geralmente são piores durante a noite e, muitas vezes, despertam os pacientes do sono. Alguns agitam ou torcem as mãos, ou colocam sob água corrente quente como uma maneira de aliviar os sintomas.

Apesar dos sintomas sensoriais da STC sejam geralmente limitados aos dedos inervados pelo nervo mediano, pode haver variabilidade significativa na sintomatologia. Muitos pacientes apresentam parestesia e dor localizadas no punho ou em toda a mão. No entanto, não é incomum que os sintomas sensoriais irradiem para o antebraço e, com menos frequência, irradiem acima do cotovelo e até o ombro. Contudo, o pescoço nunca é comprometido.

Os sintomas são muitas vezes provocados por atividades que envolvem flexão ou extensão do punho ou elevação dos braços, como também dirigir, ler, digitar e segurar um telefone.

Na maioria dos casos, a síndrome do túnel do carpo é bilateral. A evolução da doença pode seguir um padrão irregular, alternando períodos de melhora com períodos de piora dos sintomas. Por outro lado, em alguns casos, há progressão dos sintomas, tornando-se persistentes. Mais tarde pode haver desenvolvimento de sintomas motores na mão.

Nos casos mais graves de STC, em que há o envolvimento  motor , os pacientes  queixam-se de  fraqueza nas mãos, como dificuldade em até mesmo segurar objetos, girar chaves ou maçanetas, abotoar roupas ou abrir tampas.

Diagnóstico

O diagnóstico da síndrome do túnel do carpo é clínico, baseado nas características dos sintomas informados pelo paciente e pelos sinais encontrados no exame físico.

O uso da eletroneuromiografia pode ser útil para confirmar ou excluir a STC quando o diagnóstico clínico é incerto. Também é útil para avaliar a gravidade da compressão do nervo mediano e auxiliar nas decisões relativas à intervenção cirúrgica.

Os exames de imagem podem ser úteis em alguns casos para a avaliação da STC, principalmente se houver suspeita de uma anormalidade estrutural do punho, como tumor, deformidade ou outra doença óssea ou articular.

Diagnóstico Diferencial

O diagnóstico diferencial da STC inclui uma série de condições neurológicas, musculoesqueléticas e vasculares que podem manifestar-se com dor, parestesia, perda sensorial ou fraqueza  das mãos, antebraços, braços e ombros. A lista inclui :

– Radiculopatia cervical (por exemplo, hérnia de disco da coluna cervical, principalmente C6 e C7)

– Plexopatia braquial

– Síndrome do Desfiladeiro Torácico

– Lesões proximais do nervo mediano

Fibromialgia

– Osteoartrite

Fenômeno de Raynaud

Apesar das diversas possibilidades diagnósticas diferenciais, na maioria dos casos essas entidades são facilmente distinguidas.

Qual o tratamento da síndrome do túnel do carpo ?

O tratamento é realizado de acordo com a gravidade dos sintomas da síndrome do túnel do carpo. Aqueles pacientes que apresentam sintomas leves a moderados podem se beneficiar de medidas não cirúrgicas, conhecidas como tratamento conservador que incluem: fisioterapia, terapia ocupacional (uso de órtese) e tratamento medicamentoso.

Fisioterapia / Reabilitação

O tratamento fisioterápico, em particular o ultrassom terapêutico, mostrou proporcionar alívio  dos sintomas a curto prazo.

Tala ou Órtese para síndrome do túnel do carpo

O uso de órtese ou tala com a articulação do punho em posição neutral, no período da noite por no mínimo 3 a 4 semanas é considerado efetivo no tratamento inicial ou coadjuvante. São de baixo custo e risco muito baixo de complicação.

Tratamento medicamentoso

O uso oral de antiinflamatórios não esteroidais ( por exemplo, naproxeno e ibuprofeno) e corticosteróides ( por exemplo, prednisona ou prednisolona) pode ser benéfico nos casos em que há tendinite dos flexores do punho ou outra inflamação local.  Enquanto nos casos em que há retenção  de líquido, diuréticos podem ser utilizados.  

O uso da pregabalina ou gabapentina, medicamentos que são utilizados em outras dores neuropáticas, têm sido prescrito em casos selecionados , de forma off-label (“fora do róulo”). 

Infiltração

A infiltração local de corticóide no túnel do carpo é indicada se a medidas conservadoras descritas acima falharem. É uma opção interessante a ser tentada antes da cirurgia ou quando esta tem contra indicação, como  por exemplo, na gestação.

Quando indicar cirurgia ?

Nos quadros clínicos com sintomas moderados a graves realiza-se a eletroneuromiografia.  Logo, quando os achados eletroneuromiográficos mostram lesão axonal ou denervação, o procedimento cirúrgico é indicativo. No entanto, nos casos em que esses achados não são encontrados, opta-se inicialmente por tratamento conservador (descrito anteriormente) e depois , quando refratário, realiza-se a cirugia.

Nos casos em que existe uma causa definida para a STC, deve-se realizar um tratamento específico. Na gestação, opta-se pelo tratamento conservador (uso de tala), já que na maioria dos casos há melhora dos sintomas após o parto. Quando o ganho excessivo de peso é responsável pelos sintomas, medidas para sua redução são necessárias.

Nos casos em que existe uma alteração estrutural como nódulos ou cistos que justifiquem os sintomas, estes devem ser retirados. E quando os sintomas são decorrentes de uma doença sistêmica que comprometa a articulação (ex. artrite reumatoide) , está deve ser tratada especificamente.

Não deixe de ler também: 

Reumatismo

Reumatismo: entenda o que é 

Dedo em gatilho

Dedo em Gatilho: O que é ?

A Loyola e Avellar possui profissionais capacitados e tem como objetivo cuidar da saúde e bem-estar de seus pacientes.  Agende sua consulta agora mesmo:   41.3076-3054 ou whatsapp

Marcelo de Loyola e Silva Avellar Fonseca e síndrome do túnel do carpo

Dr. Marcelo de Loyola e Silva Avellar Fonseca – Reumatologista