DTM-fisioterapia-auxiliando-odontologia-curitiba-especialista

DTM e dor orofacial: saiba os benefícios da fisioterapia no tratamento

Entrevista exclusiva fisioterapeuta pós graduada em Traumato-Ortopedia

A articulação temporomandibular (ATM) é uma estrutura altamente especializada do complexo craniomandibular que está sujeita a comprometimentos de origem neurológica, ortopédica e musculoesquelética, originando as disfunções temporomandibulares (DTM), que apresentam causas multifatoriais.

Dificilmente os sinais e sintomas relacionados à ATM se apresentam de forma isolada e incluem dor na musculatura mastigatória, dor articular na região da ATM, ruídos articulares durante as funções da mandíbula, distúrbios nos movimentos mandibulares, travamentos mandibulares, fraqueza ou hiperatividade da musculatura mastigatória.

A Fisioterapia é uma das áreas que atua auxiliando a Odontologia no tratamento das DTMs visando reduzir ou eliminar sinais e sintomas, mantendo ou recuperando a atividade funcional num menor espaço de tempo. O emprego da terapia fisioterapêutica associada ao tratamento odontológico tem efeitos significativos no alívio da dor e na disfunção
temporomandibular.

Com o objetivo de esclarecer a atuação da fisioterapia no tratamento das Disfunções da ATM, convidamos a Dra. Bárbara de Oliveira Silva para
uma entrevista sobre o papel da fisioterapia no tratamento coadjuvante dessas disfunções.

Qual o papel da fisioterapia na prevenção e alívio dos sinais e sintomas das disfunções temporomandibulares (DTM)?

O papel da fisioterapia na DTM é promover o equilíbrio funcional da
articulação e músculos envolvidos evitando ou amenizando os sintomas.

Qual o objetivo da fisioterapia no tratamento das DTMs? E de que forma ela atua?

A fisioterapia no tratamento da DTM tem o objetivo eliminar a dor e o
processo inflamatório, promovendo relaxamento, fortalecimento dos músculos fracos, reeducação postural, e restabelecendo o funcionamento normal da articulação e músculos relacionados.

Na sua visão, o tratamento multidisciplinar (Odontologia + Fisioterapia) é válido para DTM? Por que?

A atuação de fisioterapia auxiliando a odontologia na DTM é muito válida,
pois a mesma pode potencializar o tratamento com técnicas diferentes para
analgesia local e com uma abordagem mais abrangente para o reequilíbrio
músculo esquelético em geral.

Como se dá o tratamento fisioterapêutico para pacientes com DTM? Quais as técnicas mais indicadas (direta e indireta)?

A fisioterapia pode atuar de maneira direta com aplicação local de recursos
analgésicos como Ultrassom e Laser, liberação miofascial, liberação de Pontos Gatilhos através de Dry Needling, relaxamento e fortalecimento da
musculatura enfraquecida. E pode também atuar de maneira indireta agindo sobre músculos e articulações que possam estar afetando a DTM, promovendo relaxamento, liberação de cadeias músculo-fasciais, e reeducação postural.

Qual a relação entre as alterações posturais e as DTMs? Como a tensão da
região cervical pode impactar a musculatura da face e ATM?

Existe uma conexão entre todas as cadeias musculares do organismo
ligando-as de alguma maneira desde a cabeça até os pés. Portanto padrões
posturais inadequados adquiridos no decorrer do cotidiano interferem
diretamente sobre a ATM provocando um desequilíbrio na relação músculo-articular da região.

A tensão dos músculos cervicais provocam uma retração dos mesmos, e como estão próximos ou ligados à ATM acabam por interferir no equilíbrio do funcionamento dessa articulação.

Existem terapias distintas para cada tipo de DTM?

Algumas terapias podem ser mais ou menos adequadas à cada tipo de DTM.
O tratamento adequado é direcionado de acordo com os sinais e sintomas de cada paciente. Por isso a importância de uma avaliação minuciosa.

Que tipo de tratamento fisioterapêutico é indicado no caso de pacientes com Dor Miofascial?

O tratamento indicado é analgesia das regiões dolorosas através de recursos
como Ultrassom e Laser, ganho de amplitude de movimento através de
alongamento, técnicas de massagem tecidual como liberação miofascial e
relaxamento, e fortalecimento para a melhora da resistência e tônus muscular.

Que tipo de tratamento fisioterapêutico é indicado no caso de pacientes com
mialgias, contraturas, dolorimento muscular local, tensão da musculatura
mastigatória?

O tratamento indicado deve ser voltado para relaxamento dos músculos
envolvidos; analgesia local (Ultrassom, laser); liberação de pontos gatilhos (dry needlyng); mobilização articular para produção de líquido sinovial;
alongamento para aumentar a amplitude para os movimentos mastigatórios; e fortalecimento dos músculos locais.

Que tipo de tratamento fisioterapêutico é indicado no caso de pacientes com
deslocamento de disco com e sem redução?

O tratamento fisioterapêutico nesse caso enfatiza um trabalho de
propriocepção da ATM associada à fortalecimento dos músculos fracos para
aumentar a estabilidade da articulação.

Qual o efeito do ultrassom terapêutico na musculatura mastigatória?

O Ultrassom terapêutico aumenta a circulação local, atraindo para a região
mediadores químicos necessários para a regeneração tecidual; realiza uma vibração que promove uma massagem profunda, dessa maneira relaxando e promovendo analgesia.

É possível trabalhar com o músculo pterigoideo lateral através da fisioterapia?

Sim. A fisioterapia pode agir diretamente sobre o músculo através de terapia manual e recursos analgésicos, buscando o objetivo necessário dependendo de cada caso.

Nos casos de bruxismo, em que sabemos que enquanto o habito estiver
presente, a musculatura será exigida de forma inadequada, como a fisioterapia poderia ajudar esses pacientes?

O ideal no caso do bruxismo é uma abordagem mais ampla enfatizando um
tratamento postural e de liberação de cadeias musculares associado ao
tratamento local, com foco direto buscando analgesia, relaxamento,
alongamento e fortalecimento dos músculos envolvidos diretamente.

Como funciona a terapia que atua na cadeia respiratória e qual sua relação com a musculatura corporal, face e ATM?

Sabe-se que as raízes nervosas que irrigam os músculos que integram a
cadeia respiratória saem da região cervical, tendo assim ligação direta sobre os músculos desse seguimento da coluna, podendo provocar desequilíbrio nos músculos da face e da ATM. A fisioterapia pode atuar sobre essa cadeia através de liberação miofascial manual e exercícios respiratórios.

O que é o LPF?

LPF, low pressure fitness, é um sistema de treinamento respiratório e
postural baseado em uma técnica hipopressiva, ou seja, exercícios que fazem pressão no abdômen sem movimentar a coluna. Os excessos de pressão intra-abdominal geram um impacto em diferentes partes do corpo, como as costas, o abdômen e o assoalho pélvico. O LPF proporciona a redução dessa pressão, conseguindo assim proporcionar uma diminuição no perímetro da cintura e abdômen, recuperação do assoalho pélvico, melhorias respiratórias, melhorias na função sexual e manutenção postural.

Dra. Barbara de Oliveira Silva
Crefito 224847-F
Graduação pela Unifacer
Pós graduação em Traumato-Ortopedia de pela Universidade Positivo.