Hipertensão e declínio cognitivo

Em estudo realizado na Universidade de Columbia, analisando um grande banco de dados da China, foi evidenciado que a hipertensão parece acelerar o declínio cognitivo, mas o tratamento eficaz retarda esse processo.

Os resultados foram apresentados nas sessões científicas da American Heart Association Hypertension de 2019.

Estudo CHARLS

Neste estudo observacional,os pesquisadores analisaram dados de 10.958 adultos do Estudo Longitudinal de Saúde e Aposentadoria da China (CHARLS), obtidos entre 2011 e 2015.

Os pesquisadores definiram hipertensão como pressão arterial sistólica (PAS) de pelo menos 140 mm Hg, pressão arterial diastólica (PAD) de pelo menos 90 mm Hg e consideraram qualquer pessoa que tomava medicação anti-hipertensiva. A pressão arterial foi avaliada três vezes e depois a média foi calculada.

A cognição foi avaliada com um teste de memória episódica (recordação imediata e tardia de 10 palavras; escala de 0 a 10) e testes de integridade mental  (Entrevista por Telefone de Status da Cognição [TICS]; escala de 0 a 11). Os resultados foram combinados para formar um Escore de Cognição Global (escala de 0 a 21).

Os participantes foram categorizados por idade (45 a 54 anos, 55 a 64 anos, pelo menos 65 anos) e status de hipertensão (hipertensos ou não; tratados ou não tratados). Eles foram seguidos por 4 anos e os resultados de 2011 e 2015 foram comparados.

Presença de redução cognitiva com hipertensão

As principais conclusões foram:

  • A pontuação geral nos testes cognitivos diminuiu ao longo do estudo de quatro anos.
  • Houve uma taxa mais rápida de declínio cognitivo entre os participantes com 55 anos ou mais com hipertensão não tratada quando comparada com  os participantes com hipertensão tratada e aqueles sem hipertensão.
  • A taxa de declínio cognitivo foi semelhante entre os participantes que receberam medicamentos anti-hipertensivos e aqueles sem hipertensão.

Para toda a população, o escore geral de cognição caiu significativamente, de uma média de 11,01 em 2011 para 10,24 em 2015 (P <0,01), com as mudanças mais marcantes na faixa etária mais velha (pelo menos 65 anos). Embora as pessoas de 45 a 54 anos também apresentem declínio cognitivo, para todos os grupos de hipertensão, suas alterações foram menores.

Tratamento rigoroso eficaz

O efeito positivo do tratamento da hipertensão foi evidente quando as pessoas com hipertensão tratada foram comparadas com aquelas com hipertensão e normotensão não tratadas.

Em média, todos os grupos experimentaram declínio cognitivo, mas aqueles com hipertensão tratada tiveram uma vantagem sobre aqueles que não foram tratados; seu declínio foi marginalmente menor do que aqueles sem hipertensão e, no grupo com população mais idosa, apenas um pouco pior.

 

Ponderações

Os investigadores alertam para o fato de ser  um estudo observacional, com tratamento de hipertensão autorreferido e sem detalhes sobre quais medicamentos foram tomados. No entanto,  é uma informação importante para todos, incluindo a preocupação com o declínio cognitivo em geral.

Publicado no Medscape