Anifrolumab

Anifrolumab – Novo tratamento mostra ser promissor para Lúpus Eritematoso Sistêmico

L&A ATUALIZAÇÕES

Um novo tratamento revelou ter boas chances de bons resultados para o Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES). O bloqueio do receptor do interferon tipo 1 pelo anticorpo monoclonal anifrolumab mostrou ser promissor no tratamento de LES moderado a grave de acordo com a fase IIb do estudo apresentado pelo Dr. Richard Furie no Congresso EULAR deste ano.

Estudo Clínico

De acordo com o estudo, dos 305 pacientes com doença ativa, 34,3% dos pacientes que receberam 300mg do anifrolumab via endovenosa a cada 4 semanas atingiram o desfecho primário de quatro pontos no SRI * (Systemic Lupus Responder Index). Também apresentaram a redução da dose de corticoide para menos de 10mg/dia no 169º dia, comparado a 17,6% daqueles que receberam placebo (P=0,014).

Em seguida, no 365º dia, 62,6% dos pacientes que receberam a dose de 300mg do anifrolumab tiveram resposta SRI-4  comparado com 40,2% dos pacientes que receberam placebo (P<0.001).

As respostas foram menos robustas naqueles pacientes que receberam anifrolumab na dose de 1000mg a cada 4 semanas, com desfecho primário no 169º dia sendo atingido por 28,8%  dos pacientes (P=0.063 versus placebo). No 365º dia, respostas SRI-4 foram observadas em 53,8% dos pacientes com dose elevada (P=0.043 versus placebo).

Efeitos adversos

Herpes zoster ocorreu em 2% dos pacientes que receberam placebo, em 5,1% do grupo que recebeu 300mg do  anifrolumab e em 9,5% do grupo que recebeu 1000mg do medicamento, enquanto influenza foi relatado em 2%, 6,1% e 7,6%, respectivamente. Não houve diferença na incidência dos eventos adversos graves, que foram vistos em 18,8%, 16,2% e 17,1%, nesta mesma ordem

Futuro

Segundo dr. Furie, dois estudos fase III estão em andamento utilizando 300mg como a dose mais elevada. Ele espera que em cinco anos este medicamento esteja no arsenal de tratamento do LES.

Uma nota de advertência foi feita por H. Michael Belmont, médico do Hospital for Joint Diseases em Nova York, que não está envolvido com o estudo. Segundo H. Michael Belmont, não houve nenhuma curva dose-resposta na medida em que os resultados foram superiores na dose mais baixa de 300mg , contra a dose mais elevada de 1000mg. Logo, o estudo fase III irá esclarecer o significado deste resultado.

O Estudo foi financiado pela MedImmune . Richard Furie e co-autores revelam relacionamentos relevantes com a MedImmune.

* SRI – Define a resposta do paciente como uma melhora com aumento de 4 pontos ou mais do escore SELENA SLEDAI, sem piora significativa do índice BILAG ou do estado clínico do paciente na Avaliação Médica Global (PGA)

 Texto publicado no MedPage Today

**Estudo deste medicamento não conseguiu atingir objetivo principal ( atualização 15/10/18) – clique aqui

Não deixe de ler também: 

causa do lúpus

Lúpus: Sintomas, causas e tratamento

A Loyola e Avellar possui profissionais capacitados e tem como objetivo cuidar da saúde e bem-estar de seus pacientes.  Agende sua consulta agora mesmo:  https://loyolaeavellar.com.br/contato/ ou 41.3076-3054

Marcelo de Loyola e Silva Avellar Fonseca CRM-PR 24-812

Dr. Marcelo de Loyola e Silva Avellar Fonseca – Reumatologista