Blog

Qual a melhor idade para iniciar o tratamento ortodôntico?

De: | Tags: , , | Comments: 0 | junho 13th, 2016

Você sabe a partir de qual idade é recomendado que os pais levem as crianças ao consultório do ortodontista? Essa é uma dúvida muito frequente e por isso é o primeiro assunto do nosso blog. Explicaremos a importância de iniciar o tratamento ainda quando mais jovem ainda na infância, os problemas ortodônticos mais comuns e dicas que fazem total diferença. Confira:

A primeira consulta ao ortodontista

A primeira visita ao ortodontista deve ser feita por volta dos seis anos de idade. Nesta fase é possível identificar a presença de problemas no posicionamento de dentes, na troca dos elementos dentários, problemas de crescimento e desenvolvimento ósseo, hábitos bucais deletérios (chupeta ou dedo) e respiração inadequada, que podem interferir no crescimento harmônico da face.

Esta é uma fase onde algumas mudanças importantes acontecem, como o surgimento dos primeiros molares permanentes e quando inicia-se a troca dos dentes de leite pelos permanentes, nesta fase podemos também, identificar os primeiros sinais de uma má oclusão.

Através do acompanhamento e monitoramento a partir desta idade, é possível prevenir a evolução de alguns problemas através de procedimentos simples e/ou definir o melhor momento de intervir e tratar, se necessário. Na maioria das vezes, o tratamento ortodôntico corretivo será, efetivamente, realizado somente na fase da puberdade, época em que elas estão crescendo mais e a troca dos dentes de leite pelos permanentes está chegando ao fim.

Muitas crianças não precisam de tratamento logo que chegam ao consultório do ortodontista pela primeira vez. Nestes casos, acompanhamos o crescimento e desenvolvimento da criança, anual ou semestralmente, até chegar a época ideal de tratamento.

No entanto, quando identificado algum problema com indicação de tratamento precoce, este deve ser realizado imediatamente.

Importância de iniciar o tratamento quando criança/por que tratar na infância?

É nesse período, que a prevenção, controle e tratamento dos desequilíbrios ósseos, musculares e dentários são mais recomendados. Isto porque nessa fase há maior plasticidade óssea. Dessa forma, podemos aproveitar o potencial de crescimento facial que a criança apresenta, para estimular e/ou redirecionar o desenvolvimento dos ossos da face obtendo melhores resultados e evitando-se, em muitos casos, tratamentos longos, extrações de dentes e até mesmo cirurgias.

O tratamento ortodôntico na infância inclui procedimentos de acompanhamento das trocas dentárias na fase de dentição mista; preservação do espaço para erupção dos dentes permanentes, especialmente nos casos de perdas de dentes de leite precocemente; aconselhamento, encaminhamento e intervenção ortodôntica nos casos de hábitos como respiração bucal, sucção de dedo ou chupeta e deglutição atípica; controle e manejo do crescimento e desenvolvimento facial com o uso de aparelhos ortopédicos e ortodônticos quando necessário; correção do posicionamento dentário, melhorando a estética facial, a função mastigatória e a saúde de dentes e gengiva.

Problemas bucais mais comuns/problemas ortodônticos comuns tratados na infância

Um problema bastante comum, e que deve ser tratado assim que identificado, ou seja, o mais cedo possível, é a mordida cruzada, que nada mais é do que o encaixe dos dentes superiores por dentro dos inferiores, uni ou bilateralmente. A mordida cruzada quando não tratada precocemente, pode levar a um crescimento e desenvolvimento incorreto e causar assimetria importante da face, que no adulto, em muitos casos, só poderá ser resolvida com cirurgia.

Hábitos como respiração bucal, a sucção de chupeta ou dedo e deglutição atípica são extremamente prejudiciais ao crescimento e desenvolvimento da face, podendo causar más oclusões severas. Dessa forma, devem ser controlados ou eliminados, dependendo muitas vezes de auxilio multidisciplinar.

O crescimento deficiente ou exagerado da maxila e/ou da mandíbula também pode causar alterações faciais e da mordida, causando desequilíbrios esqueléticos importantes. apinhamentos de dentes, mordida aberta anterior e prognatismo mandibular (queixo excessivamente para frente), também tem resultados  mais satisfatórios quando tratados na infância.

Dicas importantes

A saúde bucal da criança deve ser incentivada desde cedo para o bom desenvolvimento dos dentes, gengiva, musculatura e os ossos da face. A orientação dos cuidados bucais desde o nascimento é fundamental para que a criança cresça com saúde e garanta ainda a correta função da fala, deglutição e mastigação, estética facial e consequentemente, uma boa autoestima.

A ortodontia, na infância, tem o papel de prevenir, acompanhar, monitorar e tratar as más oclusões e desequilíbrios esqueléticos da criança no momento ideal, aproveitando o crescimento facial presente e reduzindo, muitas vezes, o tempo de tratamento total.

Você gosta do seu sorriso? somos especialistas na área de ortodontia e ortopedia facial. Agende já seu horário: 41.3076-3054

 

 

Camila de Loyola e Silva Avellar Fonseca

CRO 13150-PR

ORTODONTIA E DISFUNÇÃO DA ATM

Compartilhe...