Blog

Gota: Identifique os sintomas e previna-se

De: | Tags: , , | Comments: 0 | setembro 29th, 2016

A Gota ou artrite gotosa é uma doença reumática caracterizada por crises de artrite inflamatória incapacitante que geralmente compromete apenas uma articulação do membro inferior, porém, ocasionalmente acomete duas ou mais articulações. Esta artrite é decorrente do depósito de cristais de monourato de sódio nas articulações de pacientes que apresentam aumento de ácido úrico no sangue.

Causas e Fatores de Risco

A elevação do ácido úrico no sangue (hiperuricemia) é uma precondição necessária para o desenvolvimento da gota, no entanto, é importante saber que a maioria dos pacientes com hiperuricemia não desenvolverão a artrite gotosa.

Diversos fatores de risco estão associados ao aumento do nível de ácido úrico no sangue e consequentemente o desenvolvimento da gota. Alguns desses fatores são não-modificáveis como:
– Sexo masculino
– Sexo feminino pós -menopausa
– Influência genética (história familiar)
– Idade avançada (> 40 anos)

Dentre os fatores de risco modificáveis, ou seja, que existe alguma maneira de se prevenir incluem:
– Ingesta excessiva de proteínas (ex. carnes vermelhas, frutos do mar e alimentos que contêm xarope de milho rico em frutose)
– Ingestão alcoólica excessiva, especialmente cerveja
– Obesidade
– Hipertensão arterial
– Diabetes
– Medicamentos ( ex. alguns diuréticos)

Sintomas

O primeiro ataque da crise de gota consiste de dor articular intensa de início súbito, envolvendo em 80% dos casos apenas uma articulação dos membros inferiores. O quadro clássico é caracterizado por dor, calor, inchaço e vermelhidão na base do primeiro dedo do pé (podagra) que geralmente inicia-se no período da noite.

Outras articulações podem ser acometidas no primeiro ataque como tornozelos e joelhos. O paciente frequentemente se queixa de que o simples contato do lençol é insuportável. Às vezes a artrite gotosa é acompanhada de febre baixa, calafrio e mal-estar. Se não tratada, a crise inicial pode durar cerca de 3-10 dias.

Didaticamente a crise de gota é dividida em quatro fases:
1ª fase – Hiperuricemia assintomática : Quando os pacientes apresentam apenas o aumento do ácido úrico no sangue, mas sem apresentar sintomas.

2ª fase – Artrite gotosa aguda: Conforme descrito acima.

3ª fase – Período intercrítico: Os pacientes ficam sem sintomas entre as crises, porém, se não tratados adequadamente, as crises costumam ser mais frequentes, com duração mais longa e com mais articulações acometidas em cada crise.

4ª fase – Gota crônica (tofácea): Os pacientes apresentam deformidades nas articulações acometidas com presença de tofos (depósito de urato). Geralmente ocorre após muitos episódios de crises de artrite.

Diagnóstico

O diagnóstico é essencialmente clínico, baseado na história clínica e no exame físico. Nos casos de dúvida diagnóstica, exames laboratoriais (dosagem do ácido úrico sérico), de imagem (radiografia da articulação acometida) e a análise do líquido sinovial (líquido da articulação) podem ajudar.

Tratamento

O tratamento não medicamentoso da gota consiste na educação do paciente, informando-lhe quais alimentos e bebidas devem ser evitados, mudança do estilo de vida, redução de peso e tratamento rigoroso de doenças de base como hipertensão e diabetes.

O tratamento medicamentoso deve ser orientado por um especialista e consiste em medicamentos para retirar do quadro agudo e para evitar novas crises.

 

Todas as informações acima não substituem a consulta médica com um especialista.
A Loyola e Avellar possui profissionais capacitados e tem como objetivo cuidar da saúde e bem-estar de seus pacientes. Agende sua consulta agora mesmo: http://loyolaeavellar.com.br/clinica/contato/ ou 41.3076-3054

Compartilhe...

Comentários

comentários

Leave a Reply